Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

* Que tipo de pessoas são vocês? *

livros.jpgEu sou das que usam marcadores. Pode ser um papel qualquer, desde um pacote de açucar, uma pétala de flor, uma folha de árvore que ache gira, um envelope ou até uma fatura de uma cena qualquer que já tenha sido paga (giro este, não é?).

 

Sempre me fez confusão, impressão livros com pontas de capa dobradas e amachucadas e jamais dobrei uma ponta de uma folha de um livro. Há quem sublinhe livros com cores, escrevinhe a caneta por todo o lado e até faça desenhinhos. Eu não. Mesmo quando andava na Universdade, na quantidade de livros que tive de ler e estudar nunca encostei uma caneta. Se tive de sublinhar, fi-lo com lápis, se tive de fazer anotações, fi-lo com lápis. Quanto às capas, estiveram sempre protegidas por um forro de um papel giro ou de um celofane.

 

Eu sou assm, sou comichosa com estas minhas coisas. Às vezes custava-me emprestar os meus livros a amigas porque sabia que eles não voltariam como o meso tratamento com que tinham saído das minhas mãos. Para mim, livros sao tesouros e, assim sendo, trato-os o melhor que posso e com o valor e respeito que me merecem. 

 

Exijo Respeito!

Ainda não me tinha acontecido mas alguma vez seria a primeira. Nunca tinha apagado um comentário mas desta vez fi-lo.

 

Em primeiro lugar, quero relembrar que este blog é meu e foi criado para registar os meus estados de alma. Como tal, eu posso escrever o que me der na real gana, exprimindo as minhas opiniões e sentimentos. Por enquanto, ainda sou livre para poder dizer o que me apetecer num espaço que é meu!

 

Segundo, não aceito insultos venham de onde vierem. Muito menos de gente anónima. Não insulto ninguém e nem é essa a minha natureza. E não admito que ninguém me insulte. Afinal queremos ser moralistas e depois insultamos os outros? Por isso, nem vale a pena darem-se ao trabalho de fazer comentários aqui no meu blog. Já sabem que não obterão qualquer resposta e que o vosso comentário vai para o lixo.

 

Terceiro, são bem-vindos a este blog todos aqueles que quiserem vir criticar construtivamente e comentar os meus posts. Como sabem, pois é prática corrente, respondo-vos a todos. É o mínimo que posso fazer por quem dedica algum do seu tempo a ler-me. Todos aqueles que vierem com a intenção de insultar não são bem-vindos.

 

Quarto, as dificuldades económicas são uma realidade do meu dia-a-dia. E são bastantes! Dou muito valor a quem trabalha e condoo-me muito com as pessoas que ainda têm menos do que eu. Não menosprezo ninguém pois, na minha maneira de ver as coisas, somos todos iguais e fazemos todos falta uns aos outros.

Quem acompanha o meu blog já percebeu que eu sou assim e quem não acompanha, podia ao menos ter consultado alguns posts anteriores antes de lançar insultos gratuitos.

 

Quinto, detesto gentinha que leva os dias à boa vida, não trabalha, tem casa que foi dada de graça e um óptimo carro. Isto à conta dos meus descontos que me levam quase metade do meu parco ordenado. Pois eu se precisar de casa, mandam-me ir para debaixo da ponte, subsídio de desemprego não tenho direito porque trabalho com recibos verdes, de Julho até Setembro vivo do ar pois não tenho trabalho e nem sequer tenho subsídios de férias ou de Natal.

 

Por isso, deixo aqui um conselho, em vez de insultarem as pessoas gratuitamente, tentem conhecer um pouco a realidade de quem estão a ler o blog.  Se calhar iriam perceber certas coisas. Não leram? Temos pena! A vida trata de vos dar a lição! Bem hajam!

 

Este post foi escrito para aqueles a quem servir a carapuça!

Esperteza Saloia à Portuguesa

Hoje acordei com um trovão. Qeum me conhece sabe que eu tenho um medo horrível de trovoadas mas tenho que me armar em forte senão está tudo estragado. aproveitei para tomar o meu antibiótico pois estava na hora e o despertador não despertou. Esqueci-me de o ligar. Esperta...!

Depois foi o costume: arranjar-me e preparar-me para ir fazer o penso. Cheguei ao centro de saúde e tinha cerca de 20 pessoas à frente. Hã?!? Mas hoje toda a gente tinha resolvido ir ao centro de saúde fazer pensos e levar injecções? Estranho...

Esperei meia hora sem chamassem uma única pessoa. Como não consigo estar muito tempo sentada resolvi ir dar uma voltinha até à sala de tratamentos. Foi aí que me chegou a mostarda ao nariz. Conforme vou a passar oiço uma senhora dizer "a médica disse para eu entrar assim que a pessoa que lá está dentro saisse". Ora pois tá claro! Assim que o pessoal era consultado e tinha tratamentos a fazer, entravam à frente dos outros macacos que estavam à espera na sala há horas. Mais meia hora e nada... nem uma senhazinha tinha sido chamada! Lá fui eu outra vez verificar o que se estava a passar. Desta vez eram algumas quatro pessoas que estavam à espera à porta da sala de tratamentos. Vim de lá a praguejar e a resmungar. As outras pessoas aperceberam-se do que se estava a passar e também foram verificar o mesmo que eu.

Havia 3 enfermeias - vi-as eu! - e só uma é que estava a trabalhar. Onde estavam as outras? não sei. Provavelmente a confraternizar nalgum lado.

Havia pessoas que já tinham 2 horas de espera em cima. eu cheguei lá às 11.45 e saí às 13.30. Não foi mau, pois não?

Se houvesse organização, coordenação e um supervisor em cima destes serviços, era pouco provável que isto acontecesse.

Não existe respeito nem pelos que estão doentes. Algo vai mal no Reino Luso... Ai vai, vai!

A única consolação que tive foi que a enfermeira achou que a minha "cratera" estava óptima para quem tinha sido operada há 8 dias...

Anda meio mundo a enganar outro meio!

Viver, às vezes, é muito engraçado, principalmente quando chegamos à conclusão de que anda meio mundo a enganar o outro.

Como sempre, após o período de aulas da manhã, apanho a camioneta das 12.15. É raro o dia em que não haja um Chico-esperto a tentar sair onde não pode ou então a “ultrapassar” o limite do passe social. E geralmente são cidadãos africanos. Não sei porquê…

Hoje foi super caricato! Uma senhora africana, carregada de compras, entrou e sentou-se como é habitual. Lá seguiu o caminho até chegar à paragem onde deveria sair.

Tocou na campainha, levantou-se mas as portas não se abriram. Ela toda indignada começou logo a refilar com o motorista. Ele apenas respondeu que para ela sair teria que pagar 1.70€ pois o passe dela já não era válido naquela paragem.

Beeeem! Caiu o Carmo e a Trindade! E ela vá de refilar (sem razão) e que queria sair, que sempre fez aquilo e nunca ninguém lhe disse nada, que ele é que estava enganado… blá… blá… blá... blá… E o Motorista continuava a dizer: “tem que pagar 1.70€” e ela contra-argumentava que nem sequer tinha dinheiro pra pagar.

Como já estávamos todos fartos da situação, começa o pessoal todo que estava na camioneta a refilar com ela também, e a seguir a dar na cabeça do motorista pois era hora de almoço e a malta estava mais interessada em ir comer o seu repasto.

Conclusão, a outra fez o que quis e ainda se achou com razão. Levou a melhor sobre o motorista ao ser mal-educada. Tinha bastado ela dizer ao motorista um ”desculpe, não sabia que o passe não dava até aqui”. E saía de fininho. O pessoal esfomeado tinha agradecido.

Como se verifica cada vez mais, os valores e o respeito estão a desvanecer-se e a linha está tão fina que qualquer dia desaparece. É pena.

Continuo na minha labuta das avaliações mas o que vale é que está quase no fim. Acabam as aulas e acabo eu! A ver vamos o que resta…

P.S. Acho que ando muito pouco contestatária, reivindicativa e reclamadeira... Estarei a perder qualidades ou estarei a ficar doente? Hummm....